Lençóis: Palestras, oficinas e música marcam o 1º Expoarte da Chapada

Diversidade, cultura e arte para todas as idades fizeram parte da programação do 1º Expoarte Chapada, que aconteceu no último sábado, na cidade de Lençóis.

Com uma programação ampla, diversificada e inclusiva, moradores e turistas puderam participar de oficinas e palestras ao longo do dia, e ainda assistir apresentações de artistas locais e regionais na Praça Maestro Clarindo Pacheco, conhecida como Praça de Nequinha.

Durante a manhã, o professor de dança Tony Silva ministrou a oficina de dança afro brasileira e suas ressignificações, na sede da Capoeira Corda Bamba. De acordo com a francesa Eve Rodot, que está visitando a cidade e participou da oficina, a escolha dos temas foi muito rica porque aborda questões fundamentais para o fomento da cultura local e regional. Segundo ela, um dos momentos mais interessantes foi poder conhecer mais sobre o candomblé.

Ainda durante a manhã, atividades como Danças Urbanas, foram ministradas pelo instrutor Josué Mateus, na Praça do Tomba, além de aulas de percussão com o percussionista Diogo Silva, no bairro Lavrado.

Na parte da tarde, os palestrantes Delmar Alves de Araújo, Roy Funch e Renato Azevedo ministraram palestras com temas sobre a história da região, a importância da criação do Parque e a formação geológica do Parque. As palestras foram realizadas no campus da Universidade Feira de Santana, na Praça Horácio de Matos.

À noite, a Praça Maestro Clarindo Pacheco se tornou palco para artistas locais e da região e quem aprecia cervejas artesanais, pôde experimentar sabores produzidos na região.

O público prestigiou as apresentações de Hip Hop do Grupo Marf 2.0; a performance da dançarina Ivana Paixão, na coreografia de “Ser, ser mulher”; a voz encantadora da cantora Mariá de Castro em Idiomã; as Miscelâneas enroladas, sob o comando de Iana Schramm; o forró do grupo Xote das mina; a representação do Amor ao Ilê Ayê, com Vanessa Conceição e Tatiane Gomes; a energia do grupo Mandassaia; a Coreografia Parábola, por Toni Silva, além da musicalidade no show de Roberto Mendes.

Segundo os idealizadores do projeto, Ricardo Boa Sorte e Rose Sales, fundadores do coletivo Jaca Dura e Iana Schramm, fundadora do Coletivo Diamantina, o objetivo do projeto é unir representantes da música e da dança e ofertar uma troca de conhecimento para a comunidade local e visitantes, e trazer ao debate temas relevantes e presentes na sociedade local.

O projeto foi realizado com a iniciativa dos coletivos Jaca Dura e Diamantina, e apoiado pela Associação Comercial, Empresarial, Industrial, Agrícola e de Serviços de Lençóis (ACEL), além da Cerveja Artesanal Chapada, Hotel Canto das Águas, Produzarte, Pousada Tatu do Bem, Pet Shop Rações Pinho, Hotel de Lençóis, Centro da terra, e Geoparque Serra do Sincorá.










Grupos como

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*